Tipos de gateway

Quais são os tipos de gateway, suas características e diferenças? Entenda aqui!

Powered by Rock Convert

Você sabe quais são os tipos de gateway existentes? Em um mundo cada vez mais competitivo, organizações que buscam metodologias eficientes, provavelmente, já ouviram falar em modelagem de processos BPMN (Business Process Management Notation). Mas, para colher resultados mais assertivos, é preciso dominar alguns conceitos. Quer aprender mais sobre o assunto?

Neste artigo, apresentamos alguns dos principais gateways para ajudar no mapeamento e na otimização do fluxo de trabalho no seu negócio. Confira a leitura completa do artigo!

Afinal, o que é um gateway?

Em suma, podemos dizer que os gateways são pontos de decisão em que você ajusta a trajetória de um conjunto de ações, com base em determinados elementos e condições. Também chamados de BPMN gateways, eles indicam os caminhos mais simples para o cumprimento das atividades.

Analisando sob a perspectiva da tradução literal do termo, os gateways são “portões” que ligam uma etapa à outra e permitem a sua continuidade. Em outras palavras, eles se encarregam de delimitar alternativas para execução de um projeto. É como um guia para que as tarefas sejam cumpridas com o máximo de eficácia.

Qual é a importância deles?

Os gateways são fundamentais para dar lógica às operações de uma empresa. Eles ampliam a visão de gestores e funcionários, permitindo uma melhor tomada de decisão, sobretudo reduzindo o risco de descontinuidade.

O intuito é evitar que as equipes sejam surpreendidas com determinados fatos, ou alguma etapa tome os rumos errados, comprometendo a produtividade. Basicamente, eles atuam em três linhas importantes. São elas:

  • apontar rotas alternativas;
  • indicar caminhos paralelos;
  • estabelecer a unificação de fluxos.

Quais são os principais tipos de gateway? 

Ao todo, são 7 tipos de gateway que compõem a notação BPMN. Para que você conheça melhor esse conjunto de boas práticas, faremos uma breve explicação sobre os principais deles, a seguir.

Gateway exclusivo 

Como o nome já sugere, o gateway exclusivo é aquele que define um único caminho a ser seguido, de forma a garantir que o percurso mais rápido para a conclusão dos objetivos ou processos da empresa seja sempre seguido. Nesta estratégia, uma decisão é tomada, e os fluxos sempre convergem para uma única sequência de ações. Ademais, ele é representado por um losango vazio, ou um losango com um marcador de “x”.

Gateway inclusivo 

Marcado por não ser orientado por regras rígidas, o gateway inclusivo é o tipo de decisório que analisa, primeiro, a necessidade do processo, para, então, incluir os caminhos necessários ao atendimento daquela demanda — ele pode, até mesmo, combinar caminhos, se necessário.

Powered by Rock Convert

Neste caso, o processo inclusivo cuidará para que todos os fluxos em execução sejam concluídos ao chegar até ele, para que se possa dar sequência às atividades. Há uma avaliação das condições ideais para o seu prosseguimento. No que diz respeito ao seu símbolo, o gateway inclusivo é identificado por um losango com um círculo dentro.

Gateway paralelo

O gateway paralelo é o sistema marcado pela divisão de um fluxo de trabalho em dois ou mais caminhos, de forma que eles passem a ser executados paralelamente. Sua representação visual é um losango com sinal de “+ “dentro e, semanticamente, funciona como um “e” — vamos usar os caminhos “x” e “y”, por exemplo.

Imagine que este gateway seja utilizado para produção de um artigo. Assim, garantir que as etapas de escrita e seleção de imagens sejam feitas paralelamente e concluídas antes de dar continuidade a etapa de diagramação é uma aplicabilidade do gateway paralelo.

Gateway complexo 

Complexo, ou raramente utilizada, é a notação de BPMN cuja finalidade se resume em eliminar combinações complicadas de outros gateways. É uma abordagem que serve para representar situações complexas de split e sincronização. O gateway complexo é representado por um losango com um asterisco dentro dele. Por ter uma regra própria, ele gera maior flexibilidade no controle do fluxo. O seu nível avançado faz com que, normalmente, ele seja pouco utilizado por modeladores de processo.

Gateway baseado em eventos 

Este tipo de gateway tem como fundamento evidenciar o início de um processo. Isso significa que o andamento de determinada ação só começa a partir de um ato específico — seja uma ligação, seja o envio de um e-mail, o vencimento de um contrato etc. Nesse sentido, analise o exemplo de uma empresa que deseja trabalhar com um novo fornecedor.

No entanto, existe um vínculo contratual com o antigo parceiro. A partir do momento em que se encerra o prazo de validade desse documento, tem-se o início da sua liberdade para firmar um novo contrato com quem desejar. Ou seja, esse evento será o marco inicial para firmar outras parcerias. O gateway baseado em eventos é representado pela forma de um losango, que, dentro dele, contém um círculo com o sinal de “+”.

Gateway inicial exclusivo

O gateway inicial exclusivo é responsável por apontar várias possibilidades de início. Isto é, ele permite que a pessoa tenha uma visão ampla e precisa de todas as formas possíveis para iniciar um processo e escolher o workflow mais conveniente. Neste modelo, temos como símbolo identificador o tradicional losango, preenchido por um círculo com um hexágono dentro.

Como usar gateways de maneira correta?

Quando falamos na utilização de gateways, é importante esclarecer o seguinte ponto: não existe uma fórmula certa ou uma estratégia única que se aplique de maneira universal, pois cada um deles vai se encaixar melhor à determinada atividade. Portanto, o mais indicado, para evitar uma escolha equivocada da modelagem dos processos, é conhecer bem os tipos de gateway disponíveis e, então, analisar qual deles será mais eficiente para a situação que a empresa pretende resolver.

Entender todos os tipos de gateway contribui para que a empresa tenha um maior domínio sobre a sua automatização de processos, o controle de tarefas, o aumento da produtividade e um ganho de competitividade de modo geral. Resumindo, eles são uma peça-chave para uma modelagem de processos de negócio bem-sucedida, que implicará na obtenção de melhores desempenhos. 

Gostou do artigo? Para obter mais dicas como essas, assine a nossa newsletter e receba, diretamente no seu e-mail, outros conteúdos que vão ajudar na otimização do seu negócio!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Receba conteúdos exclusivos da Aloo no seu e-mail!

Cadastre seu e-mail para receber nossos conteúdos exclusivamente.

Email registrado com sucesso

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.