Ransomware

Ransomware: o que é, quais são os tipos e como me proteger?

Atualmente, é essencial redobrar os cuidados com segurança da informação. Isso porque o aumento de ataques de malwares tem chegado a níveis assustadores, tanto em número de ocorrências quanto na complexidade das ações realizadas.

Entre os maiores e mais danosos ataques de malwares nos últimos anos estão aqueles realizados por ransomwares. Essa modalidade de crime cibernético tem se tornado cada vez mais comum e sofisticado, trazendo uma série de prejuízos e graves consequências para as organizações.

Para minimizar tais problemas, é fundamental entender o que é ransomware, como ele se propaga e, principalmente, como evitar esse tipo de infecção. Vamos mostrar cada um desses pontos a seguir. Boa leitura!

O que é ransomware?

O ransomware é um tipo de malware que tem tirado o sono de muitos especialistas em segurança da informação devido à complexidade de sua operação e a gravidade das consequências de suas ações.

Sua função é realizar a criptografia dos arquivos e pastas presentes no computador, impedindo o acesso a todos ou a maioria dos itens , sistema de dados e, até mesmo, toda a rede local de máquinas.

Para recuperar o acesso, os cibercriminosos cobram dos usuários grandes quantias, geralmente estabelecidas em bitcoins para impossibilitar o rastreamento do destino dos recursos.

Se o usuário tentar desbloquear o sistema por força bruta, os dados podem ser apagados permanentemente e, às vezes, mesmo com o pagamento do resgate, os criminosos não liberam o acesso. Em ambos os casos, os prejuízos são enormes para as organizações.

É importante deixar claro que não são apenas as máquinas como computadores e notebooks que estão suscetíveis a este tipo de ação — dispositivos móveis, como tablets e smartphones também podem ser contaminados pelo ransomware.

Como um ransomware se propaga?

Parecendo ser legítimo, um programa malicioso geralmente entra em sua máquina por meio de um anúncio, download de um arquivo ou software aparentemente ingênuos, se propagando por meio de spams, e-mails, mensagens em redes sociais, anúncios em sites, aplicativos de mensagens ou em sites falsos.

Normalmente se passando por empresas sérias e responsáveis, essas ameaças se apresentam com chamadas atraentes para tentar convencer o usuário a realizar o clique. Uma simples propaganda online pode ter um ransomware por trás, por isso é fundamental sempre realizar a verificação para avaliar se não é uma fraude.

Como os ransomware agem no sistema do computador?

Existem os ransomwares não criptografados, os cripitografados e os de servidores. As principais diferenças entre eles são:

  • o ransomware não criptografado é conhecido como scareware. Nesse caso, uma mensagem é enviada para o usuário, avisando de que o controle da máquina está sendo assumido pelo cibercriminoso e que, para recuperá-lo, será preciso pagar um resgate. Como nessa modalidade não há a presença de criptografia, a resolução é mais fácil, sendo necessário apenas uma boa varredura na máquina;
  • o ransomware criptografado é o tipo mais comum e o mais danoso para o usuário porque esta infecção gera, de fato, o sequestro das informações e não pode ser resolvido tão facilmente quanto a versão anterior;
  • o ransomware em servidores é um malware que pode atacar servidores inteiros, colocando toda a empresa em risco.

Agora, vamos explicar como a versão mais comum atua. Um dos seus grandes problemas é que, mesmo com a remoção do programa por um antivírus, o arquivo criptografado passa a ser acessado somente pelo dono da chave — que, neste caso, é o cibercriminoso. Além disso, o sistema operacional também pode ser bloqueado, impedindo qualquer tipo de comunicação com o dispositivo.

Como já dissemos, para voltar a ser o dono da chave, o usuário precisa pagar uma espécie de resgate, normalmente em bitcoins, cujo valor geralmente varia entre 300 e 3000 dólares, dependendo da proporção do dano. Para algumas empresas, esse valor pode chegar a centenas de milhares de dólares.

Normalmente o usuário não consegue identificar o processo de criptografia acontecendo e, caso o antivírus não detecte a presença do código malicioso, o estrago só será percebido quando a ação estiver concluída.

Como se proteger dos ransomwares?

Diante dos estragos consideráveis que um ransomware pode causar em uma máquina, é fundamental saber como se prevenir deste tipo de problema. Os custos geralmente são muito altos e, em muitos casos, é impossível recuperar o acesso aos dados da empresa.

Cuidado ao baixar arquivos

Uma das principais formas de acesso dos cibercriminosos a sua máquina é por meio do download de arquivos infectados, que geram a vulnerabilidade necessária para que o malware comece a agir.

Por isso é fundamental ficar atento ao tipo de arquivo que está baixando. Algumas dicas importantes são:

  • verifique se o site é de confiança;
  • se está baixando um software, realize o download apenas no site da produtora, evitando obter programas com códigos maliciosos embutidos;
  • mesmo que um amigo ou colega envie um arquivo, confirme se ele enviou mesmo a informação — ele poderá estar replicando um vírus que obteve e não ter consciência disto, entre outros.

Mantenha o sistema operacional atualizado

Uma primeira barreira para evitar a ação do ransomware, e de outros tipos de malwares, é manter o seu sistema operacional atualizado. Isto porque, normalmente, os vírus atuam justamente por meio de brechas de vulnerabilidade existentes por falhas no código do SO.

As atualizações encontram essas falhas e as resolvem, minimizando as chances de atuação dos malwares. Por isso sempre utilize sistemas operacionais originais e mantenha-os atualizados ao longo do tempo.

Ative os recursos de segurança e privacidade do navegador

Os navegadores cada vez mais contam com recursos de segurança que auxiliam a minimizar o risco de ações de cibercriminosos. Por isso é fundamental que os usuários ativem esses recursos sempre que estiverem online. Alguns deles são:

  • verificação de certificado digital;
  • adblock;
  • verificação de autenticidade dos sites;
  • varredura de presença de malwares;
  • verificação dos downloads, entre outros.

Invista em segurança da informação

Toda empresa precisa contar com especialistas em segurança da informação para minimizar os riscos de problemas, bem como ter planos de contingência bem definidos em caso de problemas, para diminuir os prejuízos.

Por exemplo, no caso de um ataque ransomware, o backup dos arquivos na nuvem, com os protocolos de segurança bem estabelecidos resolve a questão, sem desesperos e dores de cabeça.

Portanto, saber o que é ransomware é fundamental para que os gestores de TI consigam identificar as medidas necessárias para evitar prejuízos e danos à empresa, e protegerem seus dados com maior eficiência.

Quer mais dicas importantes para manter seu setor de TI e telecomunicações? Assine nossa newsletter e receba todas as dicas e temas importantes em seu e-mail!

Receba conteúdos exclusivos da Aloo no seu e-mail!

Cadastre seu e-mail para receber nossos conteúdos exclusivamente.

Email registrado com sucesso

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.