Plano de recuperação de desastres

Plano de recuperação de desastres: o que eu preciso saber a respeito?

Um servidor queimou. Uma enchente afetou o local em que suas máquinas estão alocadas. Um furto ocorreu. Todas situações passíveis de acontecerem e que podem gerar um verdadeiro problema para sua empresa de TI, não é mesmo? O que fazer nesses momentos?

Se a sua empresa contar com um plano de recuperação de desastres, pode ter certeza de que enfrentará os problemas com maior tranquilidade e menor chance de erros. Por isso, é fundamental compreender a importância desse documento para seu negócio.

Entenda o que é tal documento, sua importância e como elaborá-lo de forma eficiente. Boa leitura!

O que é um plano de recuperação de desastres?

O plano de recuperação de desastres é um documento importante para as organizações da área de TI. Seu objetivo é conseguir realizar ações estratégicas para restaurar os dados e processos com agilidade, minimizando prejuízos e paradas de serviço.

Ele também permite a confiabilidade e maior estabilidade nas ações organizacionais, minimizando o risco de perdas de dados confidenciais e que são extremamente necessários para as organizações.

No documento descreve-se toda uma listagem de antecipações de problemas, bem como as principais ações que devem ser tomadas diante de cada uma das questões apresentadas, com os protocolos devidamente definidos para cada circunstância.

Muitas situações podem fazer com que se torne necessário colocar em ação um plano de recuperação de desastres, das mais diversas naturezas, tais como:

  • raios;
  • enchentes;
  • desmoronamentos;
  • crimes cibernéticos;
  • problemas em sistemas operacionais;
  • falhas em hardware;
  • furtos e roubos;
  • incêndios, entre outros.

Qual a importância dessa estratégia?

Um plano de recuperação de desastres tem um papel estratégico para as empresas. Por isso, é fundamental compreender a sua importância, de forma a identificar a necessidade de se empenhar para realizar a melhor elaboração do documento possível. Veja alguns dos pontos que evidenciam essa importância a seguir.

Minimizar a interrupção das operações comerciais

Um plano de recuperação de desastres é capaz de encontrar soluções para quando há interrupção das operações comerciais. Por exemplo, uma queda no site de um e-commerce pode ocorrer devido a problemas em servidores físicos, prejudicando a rentabilidade da organização.

Minimizar o risco de atrasos

Um desastre pode gerar atrasos consideráveis para a entrega de soluções para seu cliente final. Por exemplo, a indisponibilidade de uma máquina pode impedir que os colaboradores realizem as tarefas de desenvolvimento e, com isso, gerar o atraso para o cliente final.

Garantir um nível de segurança

Um dos pontos que são observados nos planos de recuperação de desastres é a observação da segurança das informações. Afinal, não estamos falando apenas de resolver os problemas quando eles surgem, mas de encontrar soluções para minimizar os danos de antemão.

Vamos a um exemplo prático para que possa entender melhor: o plano de recuperação de desastres não prevê apenas as medidas que deverão ser tomadas por parte dos colaboradores em caso de um cibercrime, mas também quais serão os protocolos implementados justamente para evitar que esse tipo de situação ocorra, fortalecendo a segurança de dados da organização.

Garantir sistemas de backup confiáveis

Outro ponto é que os planos de recuperação de desastres também preveem uma forma de armazenamento seguro para as informações da organização. Com isso, ele exige a estruturação de sistemas de backup confiáveis, garantindo que as informações da organização sejam devidamente protegidas.

Ajudar na restauração das operações com velocidade

Quanto mais tempo demorar para que as operações sejam restabelecidas, maior será o atraso continuamente. O plano deve orientar os colaboradores para as ações de retomada das atividades de forma rápida e eficiente, por meio de passo a passo, a fim de evitar que erros sejam cometidos no restabelecimento das atividades.

Quais são as melhores práticas de plano de recuperação de desastres?

Para que todos os pontos citados acima de fato sejam colocados em prática, é fundamental que o seu plano de recuperação de desastres seja impecável. Para isso, você deve saber as melhores práticas para esse fim. Veja as principais a seguir.

Compreenda quais são os principais riscos

Antes de qualquer coisa, é fundamental saber os principais riscos aos quais seu negócio está submetido em suas atividades. Discrimine cada um deles, segundo a provável ordem de probabilidade de ocorrência, identificando as principais vulnerabilidades da sua empresa. Você só saberá o que fazer se souber exatamente o que deverá ser prevenido.

Priorize o que deve ser recuperado

Diante de um desastre, é fundamental identificar as prioridades a serem observadas: o que deve ser recuperado primeiramente? Quais são as funções, informações e dados que precisam ser poupados e quais podem ser observados secundariamente?

Por exemplo, em um caso de um ataque DDoS seguido de uma invasão para obtenção de dados confidenciais, o que é prioridade: restabelecer o serviço ou proteger as informações que estão sendo visadas pelos cibercriminosos? A segunda opção. E as ações devem ser feitas priorizando essa questão.

Faça as escolhas de backup ideais

O backup de dados é fundamental para que as empresas consigam manter as informações necessárias para o funcionamento da empresa devidamente protegidas. É por meio dele que os gestores de TI podem resgatar arquivos e documentos que tenham se perdido em desastres tecnológicos.

Com isso, é fundamental saber escolher as melhores opções de backup (na nuvem, em servidor físico, qual o tipo adequado, entre outros). Essas escolhas são fundamentais para evitar erros na recuperação de dados.

Conte com o auxílio de especialistas no tema

Se é a primeira vez que vai elaborar o documento, é fundamental contar com a ajuda de especialistas, principalmente em Cybersecurity, que serão responsáveis por verificar todas as vulnerabilidades e estabelecer os principais procedimentos a serem realizados.

Estabeleça políticas de procedimento para o processo

Seja com ajuda de especialistas ou dos próprios colaboradores, é hora de estabelecer as principais políticas a serem adotadas nos processos como uma forma de orientar os funcionários sobre o que fazer. Lembre-se de seguir todos os passos antes desse processo.

Monitore continuamente o plano de desastres

Observar se o plano é, de fato, eficiente é fundamental para evitar que possíveis falhas gerem problemas na ocorrência de desastres. Por isso, revisite o documento continuamente, avaliando se há a necessidade de mudanças e adequações, bem como a implementação de outras soluções.

O plano de recuperação de desastres é uma garantia de que a sua empresa de TI conseguirá manter o pleno funcionamento diante de problemas e adversidades, minimizando prejuízos que possam vir a ocorrer.

Quer mais dicas interessantes para melhorar o setor de TI da sua empresa? Siga nosso perfil no Facebook, Linkedin, Twitter e Instagram e confira nossas publicações em suas redes sociais!

Receba conteúdos exclusivos da Aloo no seu e-mail!

Cadastre seu e-mail para receber nossos conteúdos exclusivamente.

Email registrado com sucesso

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.